porque o único computador seguro é o que está desligado

Monthly Archives: November 2013

 ou “Lembrando a história, ainda que tenham apagado parte dela”

Magic Lantern - WashiingtonNo que se torna uma novidade cada vez mais velha, a arapongagem dos EUA é mais uma vez desmascarada. A nova novidade é que a AT&T recebe dinheiro da CIA para expor dados de usuários, em vez de ser obrigada a entregá-los sob intimação de corte federal. O mais intrigante é que as 30 moedas estão desvalorizadas: pelo programa, a CIA paga michê anual de US$ 10 milhões. A AT&T, por sua vez, fica numa situação em que nem com muita água e sabão a coisa sai.

Falando em lambança, lembrei-me de situação igualmente grave e bizarra, ocorrida em 2001. Recordo-me bem desse incidente, pois foi quando tirei a McAfee da minha lista de empresas sérias. Em novembro de 2001, o jornal The Washington Post denunciava que a detecção de um malware capturador de teclado, o Magic Lantern (Lanterna Mágica), era propositalmente ignorado por aquela até então confiável empresa de segurança de dados. O Malantern, como era conhecido o keylogger desenvolvido pelo FBI, era plantado em máquinas de suspeitos, de modo a obter senhas de criptografia PGP. Afinal, era mais fácil buscar a senha na fonte — o teclado do suspeito — do que empregar poder computacional em algoritmos de quebra de mensagens criptografadas. Num surto de nacionalismo combinado com servilismo gratuito, a McAfee teria procurado o FBI para obter a assinatura do cavalo de Troia, de modo a não detectá-lo, a não neutralizar os esforços da espionagem oficial. Consta que a Symantec teria sido tomada por igual fervor patriótico (vide fontes abaixo). Continue reading